domingo, 30 de março de 2008

Eu e Olívio vibramos juntos com a vitória colorada



O Internacional confirmou a expectativa e venceu hoje a Ulbra em Canoas por 4 a 1, praticamente encaminhando sua vaga para a fase semifinal do Gauchão. A partida do próximo sábado, contra o mesmo adversário, terá ares de amistoso. O partida me encheu de satisfação também por outro motivo. Tive a felicidade de assisti-la ao lado do colega partidário e colorado Olívio Dutra, ex-governador do Rio Grande do Sul. O "galo missioneiro" é assíduo freqüentador de estádios de futebol, especialmente quando o jogo envolve o seu Inter, clube do qual é conselheiro. Junto com a inseparável mulher Judite Dutra, Olívio vibrou com o desempenho do time colorado e garantiu que estará presente nas finais do campeonato. As fotos mostram um Olívio simples e humilde, que não hesita em sentar nas arquibancadas de cimento ao lado do povo colorado. Tenho orgulho de estar ao lado dele nos estádios e no campo da política. Que outro governador tem este comportamento, sem estar em campanha?

Vamos confirmar o favoritismo, Inter!


Estou rumando para Canoas, onde o meu Inter enfrentará a Ulbra. Teoricamente, é um jogo que encaminhará o colorado para a semifinal do Gauchão. Possui mais time, será apoiado por uma grande torcida e tem realizado grandes partidas ( não vale alinhar as duas contra o Juventude). Sei que o futebol é uma "caixinha de surpresas" - como dizia Dino Sani -, mas acredito no favoritismo colorado hoje e na segunda partida do mata-mata, marcada para o dia 5 de abril, no Beira-Rio. Iarley, clicado ao lado por Marcelo Campos, daVIPCOMM, será uma das armas do Inter.

Futebol: filial é fiel à matriz

Quem não é do Rio Grande do Sul e lê apenas o título, não entende nada. Contudo, os nativos da terra sabem o que significa: ontem, o Juventude perdeu mais uma vez para o Grêmio, cumprindo sua rotina de filial arquitetada há anos. Não deveria haver jogo, evitando gastos desnecessários. Entretanto, o time de Caxias sempre joga em clima de Copa do Mundo contra o Inter, como foi demonstrado nos recentes jogos do Gauchão. Uma vantagem para o Inter: não cruzará mais com os verdes da Serra. Com o pessoal da Azenha é outra história...

sábado, 29 de março de 2008

Canadá começou matança de 350 mil focas


Há 25 anos que não se via uma caçada assim. Na Terra Nova, no Canadá, começou na segunda-feira a perseguição a 350 mil focas da Groelândia. Prevista para durar 36 horas, a matança envolve 2, 5 mil caçadores e 250 arrastões. O controle populacional destes animais e o comércio da sua pele justificam a ação, que é alvo de uma campanha condenatória por parte de associações internacionais dos direitos dos animais.
O governo canadense autorizou a morte de 975 mil exemplares num período de três anos. Estes números significam que, só este ano, houve um aumento de 100 mil focas em relação aos últimos anos. A população total de focas da Groelândia é calculada em 5,2 milhões e vinha triplicando desde os anos 70.
Outra das razões apontadas, tanto pelo Governo como pelos caçadores, tem a ver com a redução do número de bacalhaus nas águas da Terra Nova. Uma foca adulta consome uma tonelada de peixe por ano. Mas esta justificação é a mais criticada pelos ambientalistas. "O bacalhau não desapareceu por causa das focas, mas sim devido à sua sobreexploração pelos pescadores", defendem os defensores dos direitos dos animais.
A matança começou na última semana de março, no Golfo de São Lourenço, perto das ilhas Madalena, no Quebec. Foram mortos 90 mil animais. Mas a grande caçada decorre agora na Terra Nova.

Até quando?

Em três dias, a matança de focas recomeçará. Nesse momento o mundo inteiro está se unindo e protestando contra o governo canadense.
Uma delas é pressionando por meio de um enorme abaixo-assinado. Se vocês querem ajudar a acabar com a cruel chacina de filhotes, participem e divulguem o máximo possível:

Basta apontar o nome, e-mail e país requerido. Não custa nada e demora cerca de 10 segundos para assinar depois de clicar no link abaixo.

Assine: http://www.hsus.org/marine_mammals/protect_seals/seals_action/seal_watch_sign_up.html

Lula diz que oposição destila ódio. Tem razão


No primeiro e no segundo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a oposição preferiu atacar, mesmo sem provas, em vez de legislar a favor do Brasil. O chefe da nação amplia os índices de popularidade, mesmo sob o ataque cerrado da grande mídia, oportunamente alcunhada de Partido da Imprensa Golpista (PIG) pelo colega Paulo Henrique Amorim.
Ontem, em Alagoas, apoiado pelo povo, Lula fez um discurso exaltado e que expressa exatamente o clima reinante entre parlamentares do DEM e do PSDB:
- A oposição está destilando ódio.
Verdade!
Ainda bem que temos meios de contrapor na Internet, dando outra versão aos fatos e publicando charge bem-humorada como esta da Bessinha.

sexta-feira, 28 de março de 2008

Amazônia: a vida por ela




Mesmo com as inúmeras mortes de defensores da Amazônia, ameaças continuam de todos os lados. Cabe a nós denunciarmos estes abusos para que os casos publicados no site Amazonia.org.br e reproduzidos aqui não se repitam.


Thais Iervolino

"Oferta: R$ 1 mi por sua vida". Em pleno século 21 fica quase impossível imaginar essa situação. Mas na Amazônia, onde a impunidade e a luta por questões fundiárias se intensificam a cada dia, ameaças contra a vida daqueles que defendem a região são constantes. Sem controle e sem justiça a Amazônia acaba virando uma "terra de ninguém" e essa situação vem piorando nos últimos anos. "Só no estado do Pará, 800 pessoas foram assassinadas por causa da luta por terras e questões ambientais nas últimas décadas", revela José Batista Gonçalves Afonso, assessor jurídico da CPT (Comissão Pastoral da Terra) de Marabá.
De acordo com a CPT, cerca de 20 pessoas estão na lista de marcados para morrer e tem que viver sob proteção policial. "A Amazônia é uma região extremamente grande e complexa. Acompanhamos a questão rural e vemos que a agressão às populações da região está num momento bastante crítico", revela Afonso. Segundo ele, a alta do preço da soja, do aço e da carne no mercado internacional, além da vinda do biocombustível, tem provocado a expansão da monocultura e da mineração na região amazônica, trazendo problemas não só para a questão ambiental, mas também para a sociedade. "Os grandes produtores expandem suas terras e desapropriam as populações indígenas, ribeirinhas, quilombolas, entre outras".
Os estados que mais sofrem com os conflitos agrários são: Pará, Mato Grosso e Rondônia. "Ao invés de o governo tentar coibir a ação de grandes latifundiários, ele apóia o modelo vigente. O PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) vai viabilizar obras na região que promovam ainda mais a produção de grãos, minérios e carne", comenta. Para ele, aqueles que se contrapõem, sofrem um processo de criminalização. "Quando a sociedade luta pelo direito agrário, ela é vista como criminosa e aqueles que defendem os direitos dessas populações sofrem da violência privada, das ações de pistoleiros", argumenta.

Contrariando os interesses

Dom Erwin Krautler, bispo de Altamira (PA), é apenas um entre as lideranças que têm que viver sob proteção policial 24h/dia para não se tornar mártires da Amazônia. O religioso vem sendo ameaçado de morte há vários anos, por causa de sua atuação determinada em favor dos povos indígenas e dos trabalhadores rurais daquele estado. "A minha luta não pode parar. Muita gente morreu pela Amazônia e aquilo que eles defenderam, nós continuamos defendendo, não tem trégua", explica ele.
Ao atuar na luta pelos direitos das comunidades camponesas e pela preservação ambiental na região amazônica; Dom Erwin denunciou a exploração sexual de adolescentes por políticos; a emasculação e assassinato de meninos no estado e a atuação de latifundiários, grileiros, madeireiros e fazendeiros com práticas de trabalho escravo e de destruição ambiental. "A minha luta é pela sobrevivência. Estou vivendo numa área que o Estado abandonou. Se assumimos a defesa pelo meio ambiente e pelos povos indígenas, contrariamos interesses de ruralistas", afirma o bispo.

Manifesto

Para defender a vida de Dom Erwin, organizações da sociedade civil escreveram um manifesto no dia 18 em apoio ao bispo. No documento está escrito "Sabe-se, no entanto, que está em curso um plano detalhado para o seu assassinato, cujas características revelam ser obra de pessoas de grande poder econômico, provavelmente um 'consórcio', como o que vitimou covardemente a irmã Dorothy Stang três anos atrás. A prova desse poder econômico começa pelo valor oferecido aos eventuais assassinos: um milhão de reais!"

Não basta proteção policial

Outro que está com sua vida em risco é o frei Henri Burin de Roziers. Ele faz parte da Comissão Pastoral da Terra e está sob a segurança da polícia militar paraense. "Eu sofro ameaças por telefone. Além de mim, há 116 pessoas na mesma situação".
Para ele, é preciso mais do que proteção policial. "Questiono essa ação do governo. Para acabar com a violência, é preciso ir às causas dela. Os fazendeiros ameaçam e nunca são punidos. O problema é a impunidade", diz. Questionado sobre a continuidade da luta perante as ameaças, o frei revela: "Elas motivam ainda mais o nosso trabalho. Elas mostram que não podemos abrir mão dele".

A luta fora do Brasil

A violência contra defensores da Amazônia não se restringe ao país. No dia 26 de fevereiro deste ano, Don Julio García Agapito, representante governamental da Província de Tahuamanu, em Madre de Diós, região da Amazônia peruana foi assassinado por ter apreendido um caminhão carregado com mogno ilegal na sua comunidade
Segundo Angélica Almeyda, pesquisadora do tema, a região é bem conhecida por ser um dos lugares com maior biodiversidade do planeta. Entre os madeireiros, Madre de Dios é conhecida como a última fronteira onde ainda existe mogno em escala comercial. "Este processo tende a se intensificar em um contexto de abertura da fronteira entre Brasil e Peru, com a estrada ligando o Brasil ao Pacifico por meio do Acre".
A vida pela Amazônia Muitos foram aqueles que defenderam a Amazônia até a morte. Direito da terra, meio ambiente, denúncias de exploração foram algumas de suas lutas. Veja abaixo a história de alguns deles:

Dorothy Stang

Bem de manhãzinha, às 7h30min do dia 12 de fevereiro de 2005, em uma estrada de terra de difícil acesso, a 53 quilômetros da sede do município de Anapu (PA), perguntam à religiosa: "você está armada?". Ela então afirmou: "eis a minha arma!". E mostrou a Bíblia Sagrada. Leu ainda alguns trechos do livro àquele que logo em seguida lhe balearia.
Foram sete tiros que mataram, aos 73 anos de idade, a irmã Dorothy Stang. Foi assim que a vida de uma das maiores defensoras da Amazônia terminou. Irmã Dorothy estava presente na região desde a década de 1970 junto aos trabalhadores rurais da Região do Xingu. Sua atividade pastoral e missionária buscava a geração de emprego e renda com projetos de reflorestamento em áreas degradadas junto aos trabalhadores rurais da área da rodovia Transamazônica. Seu trabalho focava-se também na minimização dos conflitos fundiários na região.
Defensora de uma reforma agrária justa e conseqüente, Irmã Dorothy mantinha intensa agenda de diálogo com lideranças camponesas, políticas e religiosas, na busca de soluções duradouras para os conflitos relacionados à posse e à exploração da terra na região Amazônica.
Irmã Dorothy recebeu diversas ameaças de morte, sem deixar intimidar-se. Pouco antes de ser assassinada declarou: "não vou fugir e nem abandonar a luta desses agricultores que estão desprotegidos no meio da floresta. Eles têm o sagrado direito a uma vida melhor numa terra onde possam viver e produzir com dignidade sem devastar".

Dema

Ademir Alfeu Federicci, o Dema, foi assassinado em sua casa, em Altamira (PA), no dia 25 de agosto de 2001. O ex-coordenador do MDTX , movimento que congrega mais de 100 organizações rurais e urbanas, como sindicatos, associações de bairro e ONGs, chegou em Medicilândia (PA), município da região Transamazônica, em 1975.
Fez parte de sua trajetória a coordenação da Pastoral da Juventude, a criação do Movimento pela Sobrevivência na Transamazônica (MPST), a liderança de três caravanas a Brasília para reivindicar a recuperação da rodovia Transamazônica e a ampliação dos serviços de saúde e educação na região. Também participou dos "Gritos da Terra Brasil", manifestações que incluíam reivindicações pelo estabelecimento de crédito bancário para pequenos produtores.
À frente do MDTX, a liderança voltou-se, entre outras atividades, a denunciar desvios de recursos da extinta Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam), a retirada ilegal de madeira em áreas indígenas e a grilagem de terras. Um pouco antes de sua morte, liderava um movimento de resistência à construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte, obra prevista no Avança Brasil de FHC que hoje integra o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do governo Lula. Apesar de sindicalistas e organizações apontarem que o assassinato tinha sido encomendado, o inquérito policial para apurar as causas de sua morte foi concluído com falhas graves em menos de uma semana e classificou o caso como latrocínio.

Brasília

Com doze tiros na cabeça, o líder sindical Bartolomeu Morais da Silva, mais conhecido como Brasília, foi seqüestrado, torturado e assassinado.
Seu corpo foi encontrado às margens da rodovia Santarém-Cuiabá nas proximidades do distrito de Castelo dos Sonhos, local onde o sindicalista residia e atuava como delegado sindical representando o sindicato dos Trabalhadores Rurais de Altamira e também primeiro suplente de vereador pelo PT no município.
Desde 1997 que o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Altamira vinha pressionando o INCRA e o governo do estado no sentido de resolver os graves conflitos fundiários na região de Castelo dos Sonhos, Distrito de Altamira, próximo à divisa com Estado de Mato Grosso, na rodovia Cuiabá Santarém.

Miguel de Freitas da Silva

O presidente da Associação de Trabalhadores Rurais de Ipaú, Miguel Freitas da Silva, de 44 anos, pai de oito filhos, foi assassinado a tiros por dois pistoleiros no dia 1 de setembro de 2001. Ele estava sentado em frente à sua casa, em Tucuruí (PA), quando chegaram os dois homens em uma motocicleta. Um deles perguntou: "quem é o Miguel?". O sindicalista respondeu: "sou eu". Os dois sacaram suas armas e dispararam vários tiros. Dois tiros atingiram Freitas da Silva no peito e tórax. Ele morreu ao chegar no hospital da cidade. Além de sindicalista, Miguel também lutava pela desapropriação de áreas improdutivas da região.

Vicente Cañas

Vicente Cañas é um dos mais cultuados heróis mato-grossenses da luta pelos direitos indígenas. Sua morte, ocorrida presumivelmente em 6 de abril de 1987, é o exemplo típico da união das forças ruralistas com autoridades constituídas para ampliar as áreas agricultáveis de Mato Grosso, à custa de prejuízo e morte dos povos tradicionais.
Foi assassinado no barraco em que vivia solitário, na margem esquerda do rio Iquê, afluente do Juruena, em terras indígenas dos enawenê-nawê, cravadas entre os municípios de Juína, Comodoro e Campo Novo do Parecis, no médio-norte de Mato Grosso.
O inquérito policial que deveria investigar o crime durou intermináveis seis anos e foi marcado por ocorrências inusitadas, como o desaparecimento de provas. O crânio da vítima, lesado por porretadas, foi encontrado casualmente na praça da rodoviária, em Belo Horizonte (MG), em fevereiro de 1989, quando deveria estar sob cuidados do Instituto Médico Legal (IML).

Chico Mendes
Francisco Alves Mendes Filho, mais conhecido como Chico Mendes, foi um seringueiro, sindicalista e ativista ambiental brasileiro. Sua intensa luta pela preservação da Amazônia o tornou conhecido internacionalmente e foi a causa de seu assassinato, em 22 de dezembro de 1988.
Iniciou a vida de líder sindical em 1975, como secretário geral do recém-fundado Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Brasiléia. A partir de 1976 participa ativamente das lutas dos seringueiros para impedir o desmatamento através dos "empates" - manifestações pacíficas em que os seringueiros protegem as árvores com seus próprios corpos. Organiza também várias ações em defesa da posse da terra pelos habitantes nativos.
Sob sua liderança a luta dos seringueiros pela preservação do seu modo de vida adquiriu grande repercussão nacional e internacional. A proposta da "União dos Povos da Floresta" em defesa da Floresta Amazônica busca unir os interesses dos indígenas, seringueiros, castanheiros, pequenos pescadores, quebradeiras de coco babaçu e populações ribeirinhas, através da criação de reservas extrativistas.
Em 1987, Chico Mendes recebeu a visita de alguns membros da ONU, em Xapuri, que puderam ver de perto a devastação da floresta e a expulsão dos seringueiros causada por projetos financiados por bancos internacionais. Dois meses depois leva estas denúncias ao Senado norte-americano e à reunião de um banco financiador, o BID. Por sua luta, Mendes recebe vários prêmios internacionais, destacando-se o Global 500, oferecido pela ONU, por sua luta em defesa do meio ambiente.
Ao longo de 1988 participa da implantação das primeiras Reservas Extrativistas criadas no Acre. Após a desapropriação do Seringal Cachoeira, em Xapuri, propriedade de Darly Alves da Silva, agravam-se as ameaças de morte contra Chico Mendes e ele declarou às autoridades policiais e governamentais que corria risco de vida e que necessita de garantias.
Em 22 de dezembro de 1988, exatamente uma semana após completar 44 anos, Chico Mendes foi assassinado na porta de sua casa. Casado com Ilzamar Mendes, deixou dois filhos, Sandino e Elenira, na época com dois e quatro anos de idade, respectivamente.
A justiça brasileira condenou os fazendeiros Darly Alves da Silva e Darcy Alves da Silva, responsáveis por sua morte, a 19 anos de prisão, em dezembro de 1990. Darly fugiu em fevereiro de 1993 e escondeu-se num assentamento do Incra, no interior do Pará, chegando mesmo a obter financiamento público do Banco da Amazônia, sob falsa identidade. Só foi recapturado em junho de 1996. A falsidade ideológica rendeu-lhe uma segunda condenação: mais dois anos e oito meses de prisão. Em dezembro de 2007, na mesma semana em que o assassinato de Chico Mendes completava 19 anos, uma decisão da juíza Maha Kouzi Manasfi e Manasfi beneficiou o fazendeiro Darly Alves da Silva com a prisão domiciliar até março de 2008.

Link: http://www.amazonia.org.br



Grêmio, clube sem identidade

Os torcedores gremistas e a mídia que apóia as ações do Porto-Alegrense estão vibrantes. Depois de mais de um ano de discussões e projetos, os conselheiros do Porto-Alegrense aprovaram ontem a construção da chamada "arena". Onde? No Bairro Humaitá, na zona Norte de Porto Alegre. Se sair do papel, a construção do novo estádio expõe a falta de identidade do rival colorado. A primeira casa tricolor localizava-se no Moinhos de Vento, de onde se transferiu para a Azenha (no caminho para a zona Sul). Enquanto isso, o Internacional nasceu e cresceu no Menino Deus. Primeiro no histórico Estádio dos Eucaliptos e, desde 1969, no Beira-Rio, que está sendo remodelado e não ficará devendo para a tal "arena". Sem que o clube desrespeite suas origens.

Um serial killer adolescente perto de nós

É rotineiro assistirmos noticiários mostrando assassinatos em série em outros países, especialmente nos Estados Unidos. A surpresa ocorre quando tais barbaridades ocorrem perto de nós, quase no nosso quintal. As televisões mostraram ontem e os jornais gaúchos reproduzem hoje a prisão de um adolescente de Novo Hamburgo (RS), 16 anos, que teria confessado o assassinato de pelo menos 13 pessoas em menos de um ano. A justificativa, segundo ele, é vingança. Nos interrogatórios, os policiais focaram surpresos com a frieza e a ausência de arrependimento ou sentimento de culpa por parte do rapaz. Pior: diz que pretende matar mais três pessoas que teriam atravessado o seu caminho.
À distância, é difícil estabelecermos um julgamento e buscarmos uma razão para tais ações, mas é importante ficarmos atentos na nossa legislação. Quem já matou este número de pessoas e não exibe qualquer sentimento de remorso, não tem condições de voltar ao convívio da sociedade. Será que apenas um atendimento psicológico mudaria a mente deste adolescente com um currículo tão vasto de crimes? Acho difícil.

quinta-feira, 27 de março de 2008

Tucanos e democratas sob a ótica do Bira

Porto Alegre, 236 anos































Em homenagem aos 236 de Porto Alegre, resolvi tirar algumas fotos da cidade, entre as quais estas em que aparecem parte da Santa Casa de Misericórdia, prédios de faculdades de UFRGS e a Parque da Redenção, pulmão da capital gaúcha e meu vizinho. Ao fundo, alguns morros onde moram milhares de pessoas. Porto Alegre, metrópole com mais de 1,5 milhões de habitantes, me recebeu quando eu tinha 17 anos e nunca me abandonou. Morei em diversos bairros da "mui leal e valorosa" - título recebido durante o Império -, mas sou apaixonado mesmo pela Cidade Baixa, onde resido pela terceira vez em 35 anos.

quarta-feira, 26 de março de 2008

O genérico ao nosso alcance

Recebi do amigo Paulo da Vida um recado que é uma verdadeira jóia a ser dividida com vocês. Basta digitarmos o nome do remédio desejado no site abaixo e teremos também os genéricos e os similares de todas as marcas, com os respectivos preços em todo o Território Nacional.
Como tudo que é bom nem sempre é divulgado, peço que divulguem aos seus amigos, parentes e conhecidos. Façam bom uso:

http://www.consultaremedio.com.br

O Globo distorce decisão do PT e desinforma leitores

Como sempre, a grande mídia não hesita em ferir o jornalismo quando busca atingir as esquerda. Dá pouca (ou nenhuma) importância aos leitores. Leia abaixo nota enviada pelo PT ao jornal O Globo, com pedido de publicação, a respeito de notícia incorreta veiculada pelo jornal nesta terça-feira (25):


NOTA DE ESCLARECIMENTO

O jornal O Globo falta com a verdade ao afirmar em sua primeira página desta terça-feira (25) que: "PT aprova alianças com DEM e PSDB". Igualmente falsa é a conclusão, na página 3, de que a suposta decisão seguiria "orientação do presidente Lula". Em respeito aos leitores de O Globo, o Partido dos Trabalhadores esclarece:

1. Não há nem nunca houve qualquer orientação do presidente Lula nesse sentido;
2. A resolução política aprovada pelo Diretório Nacional na segunda-feira (24), ao contrário do que afirma O Globo, rejeitou alianças com partidos que fazem oposição ao governo Lula, estabelecendo que acordos municipais contrários a essa orientação devem ser referendados pelas respectivas Executivas Estaduais do PT e, nos casos das grandes cidades, obrigatoriamente aprovados pela Executiva Nacional.
3. A íntegra dessa resolução, com todos os seus detalhes, foi tornada pública na mesma segunda-feira. Além disso, o ponto relativo à rejeição de alianças com PSDB e DEM foi suficientemente esclarecido pelo presidente Ricardo Berzoini em entrevista coletiva concedida logo após a reunião do DN – na qual estava presente a reportagem de O Globo.
4. Não há, portanto, nenhum elemento que justifique o enfoque ficcional dado pelo Globo ao assunto. Agindo assim, o jornal foi na contramão não apenas dos fatos, mas também de todos os demais veículos que acompanharam a reunião – inclusive o site G1 (do mesmo grupo de comunicação), que às 20h56 de segunda-feira, sob o título "PT pretende barrar coligações com partidos de fora da base aliada", noticiou o que de fato foi decidido pelo Diretório Nacional.

Secretaria Nacional de Comunicação do PT

segunda-feira, 24 de março de 2008

Políticos de direita são os donos da mídia

Os políticos dos partidos conservadores de direita e de centro, DEM, PSDB e PMDB são os "donos da mídia" nacional. É o que conclui o Instituto de Estudos e Pesquisas em Comunicação (Epcom). Ao total, 271 políticos são sócios, proprietários ou diretores de emissoras de rádio e TV. Contrariando a legislação, a maioria deles é prefeito, seguidos dos deputados estaduais. Dos políticos-proprietários de meios de comunicação, 147 são prefeitos (54,24%), 48 (17,71%) são deputados federais; 20 (7,38%) são senadores; 55 (20,3%) são deputados estaduais e um é governador.
Esses números, porém, correspondem apenas aos políticos que possuem vínculo direto e oficial com os meios – não estão contabilizadas as relações informais e indiretas (por meio de parentes e laranjas), que caracterizam boa parte das ligações entre os políticos e os meios de comunicação do país. "Salta aos olhos a quantidade de prefeitos donos de veículos de comunicação. Demonstra a conveniência do Executivo em usar esses meios para manter uma relação direta com seu eleitorado", destaca James Görgen, pesquisador do Epcom.
Entre as mídias mais apreciadas pelos prefeitos, conforme a pesquisa, destacam-se o rádio OM (espaço onde acontecem os debates públicos) e as rádios comunitárias (que permitem a proximidade com a comunidade, a troca diária com o eleitorado, seja por meio da administração da rádio, seja pelo controle da programação). ''Assim, eles garantem suas bases eleitorais'', avalia Görgen. Já os senadores e deputados aparecem como proprietários de mídias com maior cobertura, como as TVs e FMs. "Em ano de eleições, é difícil imaginar que esses políticos deixem de usar seus próprios meios de comunicação para tirar vantagem logo de saída na corrida eleitoral", analisa o pesquisador, dando como exemplo os prefeitos-proprietários, que este ano podem usufruir de temporada maior que a regulamentar da campanha para fazer sua exposição positiva. "Isso dá a eles uma vantagem enorme e representa um risco à democracia", conclui.
Em relação às regiões, relativizando as proporções de cada uma e a densidade de municípios, a pesquisa confirma a prática do chamado "coronelismo eletrônico" concentrado no nordeste brasileiro, onde prevalecem políticos controlando meios de comunicação. Quanto aos partidos, esses políticos surgem assim: 58 pertencem ao DEM, 48 ao PMDB, 43 ao PSDB, 23 são do PP, 16 do PTB, 16 do PSB, 14 do PPS, 13 do PDT, 12 do PL e 10 do PT. Os números apresentados são resultado do cruzamento de dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) com a lista de prefeitos, governadores, deputados e senadores de todo o país. Coronelismo eletrônico.
No ano passado, uma subcomissão especial da Comissão de Ciência, Tecnologia e Informática (CCTCI) da Câmara dos Deputados, analisou os processos de outorga no setor de radiodifusão e apresentou, em dezembro, relatório revendo as normas de concessão de rádio e televisão. Uma proposta de Emenda Constitucional foi encaminhada pelo grupo, acrescentando um parágrafo ao artigo nº 222 da Constituição, que estabelece: ''não poderá ser proprietário, controlador, gerente ou diretor de empresa de radiodifusão sonora e de sons e imagens quem esteja investido em cargo público ou no gozo de imunidade parlamentar ou de foro especial''. A presidente da subcomissão, deputada Luíza Erundina (PSB-SP), explicou, na época, que, como esse artigo ainda não foi regulamentado, os detentores de cargos públicos conseguem burlar a Constituição. Segundo ela, os políticos utilizam essas brechas para adquirir emissoras. O coordenador-geral do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC), Celso Augusto Schröder, condena a utilização privada das concessões públicas e defende que a lei seja mais clara e que sejam construídos ritos públicos eficientes. A deputada relatora da proposta, Maria do Carmo Lara (PT-MG) declarou, no relatório, que a propriedade e a direção de emissoras de rádio e televisão 'são incompatíveis' com a natureza do cargo político. O texto cita ainda um 'notório conflito de interesses' dos parlamentares, já que os pedidos de renovação e de novas outorgas de rádio e TV passam pela aprovação dos próprios deputados e senadores. A proposição ainda não foi posta em votação.

Fontes: Site Vermelho e Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC)

Quando vieres me visitar...

Traga flores, muitas delas...
Porém, não me traga apenas flores.
Não se esqueça de juntar a elas
a beleza do teu sorriso,
a ternura do teu olhar,
a força do teu abraço e
o calor dos teus beijos...

O Inter tem grupo forte

Para quem duvidava, o Internacional provou ontem em Veranópolis que tem um grupo forte e não apenas a equipe titular. Jogando sem Fernandão, Iarley, Marcão, Alex e Wellington Monteiro, o colorado despachou o time da cidade por 3 a 1 e garantiu o primeiro lugar do grupo B do Gauchão. Os gols foram de Adriano (2) e Gil (na foto de Alexandre Lops, do site do Inter), eventuais reservas. Agora, o negócio é encerrar a fase com uma grande vitória sobre o Inter de Santa Maria na quarta-feira e esperar pelo quarto colocado do outro grupo, dando início ao mata-mata. Levo fé no colorado.

Falta de sangue pode ampliar mortes por dengue no RJ

O número de mortes por dengue no Rio pode aumentar, caso o HemoRio (Instituto Estadual de Hematologia) não consiga superar em quase 50% o número de doadores de sangue. Na segunda-feira passada, a diretora do instituto, Clarice Lobo, viu chegar a 50 o número de bolsas de plaquetas, quantidade suficiente para suprir apenas cinco ou seis pacientes adultos."O estoque ficou muito, muito, muito baixo. Não deixamos de atender, mas ficamos bastante preocupados. Se tivéssemos sete pessoas precisando de plaquetas, nosso estoque não seria suficiente", afirmou Clarice.
No Estado do Rio, foram confirmados 48 óbitos pela doença, dos quais 20 pelo tipo hemorrágico da doença.As plaquetas são responsáveis por conter os sangramentos, comuns na forma hemorrágica da dengue. Normalmente, uma pessoa tem entre 150 mil e 400 mil plaquetas por mm de sangue. Mas a doença provoca queda brusca desse número e a transfusão de plaquetas pode ser a única solução.Diariamente, o HemoRio recebe cerca de 400 pacientes por dia e esse número precisa subir para pelo menos 600 pessoas. Até quinta-feira, foram confirmados no Estado 35.901, dos quais 23.555 na capital. "Não caiu o número de doadores, mas a demanda de plaquetas subiu entre 30% e 50%", afirmou Clarice.
A partir de hoje, um ônibus vai rodar a cidade para chegar mais perto dos doadores.Nesta sexta-feira, 21, um bebê morreu com suspeita de dengue no Hospital Estadual Albert Schweitzer, em Realengo, na Zona Oeste do Rio. O boletim médico indica que a causa da morte de Ana Clara Gonçalves, de apenas 7 meses, foi dengue, segundo a diretoria do hospital, mas o caso ainda não foi confirmado pela Secretaria Municipal de Saúde. Das 48 mortes confirmadas, 24 são de crianças menores de 12 anos.

Presidência da República responde à Veja

Veja a íntegra da nota oficial divulgada hoje pela Casa Civil a respeito da produção de um dossiê com gastos do governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB):

"Com relação à matéria publicada pela Revista Veja (edição nº 2053), a Casa Civil da Presidência da República desmente categoricamente a existência de qualquer 'dossiê construído dentro do Palácio do Planalto' sobre os gastos com suprimento de fundos do governo Fernando Henrique. O que a revista apresenta são fragmentos extraídos de uma base de dados do sistema informatizado de acompanhamento do suprimento de fundos - SUPRIM. A revista Veja mente e manipula informações ao transformar o banco de dados SUPRIM, um instrumento de gestão, em mecanismo de chantagem política. O vazamento de parte de dados sigilosos se constitui em prática criminosa, por parte do autor do vazamento e por parte de quem deu publicidade a dados que não poderiam vir a público pela sua natureza, o que ensejará todas as medidas judiciais cabíveis."

Continua no http://republicavermelha.blogspot.com/2008/03/reprisando-o-velho-filme-do-dossi-falso.html

sábado, 22 de março de 2008

Guerra do Iraque faz cinco anos. E os motivos ainda não foram explicados

A invasão dos Estados Unidos no Iraque completou cinco anos no dia 20 de março sem mostrar qualquer avanço nos objetivos iniciais do governo norte-americano. Saddam Hussein foi derrubado do poder e condenado à morte, mas as armas de destruição em massa que o sanguinário presidente George Bush afirmava que o Iraque tinha nunca foram descobertas. A luta contra o chamado terrorismo, também defendida pelo governo norte-americano, não saiu do plano das idéias, pois não foi provada nenhuma ligação mais concreta entre o governo iraquiano e organizações como a Al Qaeda.
Para os EUA, o que tem marcado mais a guerra são as perdas econômicas e humanas. Especialistas dizem que o custo, orçado inicialmente em US$ 60 bilhões, já alcançou mais de US$ 600 bilhões. Valor que ainda não foi coberto pelos novos poços de petróleo que os norte-americanos pensavam em descobrir naquele país. Ainda há a situação dos soldados sobreviventes que, quando voltam aos Estados Unidos sofrem de graves problemas psicológicos, tendendo ao suicídio ou ao assassinato de outras pessoas, principalmente familiares. Nada menos do que 4 mil norte-americanos morreram, enquanto cerca de 600 mil iraquianos perderam a vida.
Bush será lembrado como um dos maiores assassinos de todos o tempos. Que saia do poder o mais rápido possível.

sexta-feira, 21 de março de 2008

A velha máquina de escrever

Eu usava uma máquina parecida com esta ao lado quando comecei no jornalismo. Era uma barulheira danada na redação e muito desperdício de papel. A cada erro, retirávamos a lauda, que ia direto para a lata do lixo. Com o advento do computador, o silêncio impera e o papel é apenas o do bloco das entrevistas. Fico feliz por ter vivenciado as duas fases.

quinta-feira, 20 de março de 2008

Eles queriam bater o nosso recorde de público. Ficaram nos limites do sonho

Os gremistas adoram nos copiar, mas nunca vão nos ultrapassar. Depois que o Internacional recebeu mais de 46 mil pessoas no Beira-Rio no Dia Internacional da Mulher - sendo 11 mil do sexo feminino -, hoje o Grêmio anunciou e a mídia apoiou: o Olímpico tentaria bater o recorde colorado. Fizeram papelão, colocando apenas 21 mil torcedores no acanhado estádio da Azenha. Não chegaram nem à metade da multidão que esteve no nosso complexo no dia 8 de março.
E assim continuará sendo... Pesquisas de opinião mostram uma coisa, mas no Beira-Rio e no Interior revelamos que somos, efetivamente, a maior torcida do Rio Grande do Sul.

Censura dos poderosos atinge jornalista

PAULO HENRIQUE AMORIM E A MORDAÇA

"Os poderosos e bilionários interesses do setor de telecomunicações tentaram, mais uma vez, calar a voz daqueles que apontam as maracutaias praticadas pelos grandes empresários do setor, cujo ícone é Daniel Dantas. O jornalista Paulo Henrique Amorim e seu site, Conversa Afiada, são as mais novas vítimas desta corporação mafiosa que hoje controla boa parte dos veículos de comunicação do país. Após ser sumariamente despejado do iG, portal pertencente à Brasil Telecom, Amorim declarou: ''podem ter tido a intenção de me calar, mas não basta. Tem que fechar a internet, antes".

Daniel Dantas, IG, Citibank, e o despejo do Conversa Afiada.

Já é do conhecimento até do mundo mineral - como diria Mino Carta - que o site Conversa Afiada foi abruptamente despejado do portal iG na tarde de terça-feira (18). O iG não deu nenhuma explicação aos seus leitores e retirou do ar todo o conteúdo que estava hospedado no referido site. Isso obrigou o jornalista Paulo Henrique Amorim, editor do Conversa Afiada, a migrar às pressas para um novo endereço.

O novo endereço é : http://www.paulohenriqueamorim.com.br

Foi neste novo endereço, no início da noite desta quarta-feira (19), que Amorim revelou as primeiras pistas sobre os reais motivos de seu desligamento do iG. Segundo ele, uma matéria postada no último dia 10 de março, revelando o jogo de interesses empresariais envolvendo o Citibank --que é um dos principais acionistas da Brasil Telecom, que por sua vez é controladora do iG-- e o conhecido e suspeitíssimo empresário Daniel Dantas, foi a gota d´água para que os dirigentes da empresa pedissem sua cabeça.

Leia a íntegra em Poemas e Conflitos:

http://poemaseconflitos.blogspot.com/2008/03/censura-na-internete.html

quarta-feira, 19 de março de 2008

O contingente colorado em Chapecó


O Internacional joga na noite de hoje a sua segunda partida na Copa do Brasil. Uma vitória ante a Chapecoense por 2 a 0 já o garante na segunda fase da competição, caminho mais curto para a Libertadores da América. Ontem, porém, a torcida colorada da cidade catarinense de Chapecó, distante cerca de 500 quilômetros de Porto Alegre, deu uma demonstração de paixão pelo colorado no aeroporto e no hotel (foto acima). Hoje, mais de 3 mil rubros estarão nas arquibancadas torcendo por mais uma vitória de seu clube. Vamos, Inter... A real pesquisa sobre a maior torcida do Rio Grande do Sul - ou fora dele - é esta!

Foto: Alexandre Lops - divulgação Internacional

EUA derrotados pelos países latinos-americanos

O título acima não apareceu em qualquer jornal brasileiro e, tampouco, foi chamada de noticiários das grandes televisões brasileiros. O máximo que a grande imprensa publicou foi que a Organização dos Estados Americanos (OEA) repudiou a invasão colombiana no Equador por ocasião da morte de guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). Na prática, o resultado da reunião da OEA representou a rejeição de todos os países latinos-americanos à tentativa dos Estados Unidos de lançar no continente o seu princípio de "guerra preventiva". Se os ianques belicistas tivessem imposto sua posição, a notícia certamente ganharia as manchetes da mídia, como sempre acontece. Mas expor o isolamento dos EUA não interessa aos editores.

Verbete da vida eterna

Recebi as definições abaixo da amiga Isabela Firmo de Moura e resolvi dividir o conteúdo com vocês. Espero que concordem...

- é a força da certeza que revigora a alma em qualquer situação.

ESPERANÇA - é a luz da visão capaz de nos mostrar a eternidade, extirpando de nós todas as inquietações.

HUMILDADE - é o espelho em que descobrimos a nossa pequenez diante do Universo, permitindo-nos assumir um lugar verdadeiro e tranquilo no palco da vida.

RENÚNCIA - é o propósito firme em que nos despojamos de nós mesmos, tomando caminho que, embora contrariando as nossas débeis preferências, conduz-nos mais depressa ao cume da perfeição.

SIMPLICIDADE - é a forma que encontramos para tornar suaves as provações e mais fáceis as realizações nobilitantes do dia-a-dia.

CARIDADE - é o instrumento de uso permanente com o qual podemos lavrar a terra em que se erguerá a nossa própria felicidade.

MANSIDÃO - é a técnica que nos torna superiores a todas as agressões do mundo.

SERENIDADE - é a música agradável a todos os ouvidos, podendo transformar os nossos impulsos mais ásperos em gestos harmoniosos e eficazes.

PERDÃO - é a maneira pela qual reconhecemos de fato que o correão intrínseco de cada alma compete à Lei Divina.

SERVIR - é o modo de fazer que o esforço não seja inútil; seja sempre um ato de amor.

ALEGRIA - é o desabrochar da vida, em clima de constante renovação.

INDULGÊNCIA - é a caridade vestida de silêncio.

TRABALHO - é o comportamento que dignifica o espírito, fazendo-o colaborador de Deus.

AMOR - é o sentimento que melhor apresenta Deus em nós; é a manifestação mais comovedora e mais fiel da existência do bem como força eterna e preponderante da Criação.

segunda-feira, 17 de março de 2008

Festa colorada no ano em que nasci


A foto acima, que circula no Orkut, é um documento histórico. Mas emociona especialmente a mim porque trata-se de uma festança colorada em 1955, ano em que nasci. O time ao qual dedico minha paixão incondicional tinha, então, 45 anos e já reunia multidões nas ruas de Porto Alegre.
Os torcedores do Inter que erguem bandeiras, cartazes e faixas neste "retrato" não imaginavam que um dia o clube do povo seria o maior do mundo, depois de conquistar o Brasil e a América. Dá-lhe, Inter! Tuas conquistas não têm limite.

sábado, 15 de março de 2008

Filha de desaparecidos argentinos coloca pais adotivos na cadeia

"Que a sociedade deixe de aceitar que se roubem os filhos de outras pessoas." Assediada pelos jornalistas, María Eugenia Sampallo (foto) acabava de escutar na sede dos tribunais de Buenos Aires o pedido da promotoria de 25 anos de prisão para os três autores do roubo de um bebê. Sampallo é ao mesmo tempo a denunciante e o objeto do roubo: essa argentina de 30 anos colocou no banco dos réus pela primeira vez na história do país o homem que a arrancou de sua mãe, praticamente recém-nascida, e o casal que a recebeu e criou.
Assim, no próximo 4 de abril um juiz federal anunciará a sentença sobre a primeira denúncia de um filho de desaparecida contra os que atuaram como pais adotivos e contra o militar que a seqüestrou. Até chegar a esse ponto Sampallo teve de lutar literalmente desde menina para conhecer a verdade. Uma determinação que surgiu em 1986, quando o casal formado por Osvaldo Rivas e Cristina Gómez Pinto enviou sua filha de 8 anos a uma psicóloga para lhe dar uma notícia: na realidade era filha adotiva e seus verdadeiros pais tinham morrido em um acidente. A menina começou a perguntar insistentemente detalhes sobre seus pais biológicos, e um ano depois o casal concordou em "revelar" que sua mãe tinha sido uma empregada doméstica. A curiosidade infantil não parou e a versão mudou ligeiramente, transformando a menina em filha de uma comissária de bordo européia.
Finalmente, vários anos depois, explicaram para a então adolescente que tinha sido abandonada na porta do Hospital Militar de Buenos Aires e recolhida por um amigo da família, o capitão Enrique Berthier, que a havia entregado. O casal não suportou a tensão e se separou dois anos depois de tentar enganar a menina. E um dia, quando esta voltou para casa, a mãe Cristina Gómez, com quem havia ficado, anunciou que "umas velhas" queriam separá-la dela. Tratava-se das Avós da Praça de Maio, que procuravam as crianças nascidas nos centros de tortura da ditadura militar cujas mães tinham sido assassinadas. Mas um teste de sangue realizado para verificar se ela era um desses casos deu resultado negativo.
No entanto, não havia mais como voltar atrás e estava claro que um grave engano pairava no ar. O ambiente tornou-se irrespirável e Cristina Gómez fazia constantes críticas à garota. "Me dizia que eu não era agradecida com eles pelo que haviam feito por mim e que se não fosse por eles eu estaria atirada em uma vala", declarou Sampallo diante do tribunal. Quando completou 19 anos, ela saiu de casa sem levar nenhuma recordação da vida que teve com os que se proclamaram seus pais adotivos. Sampallo, que ainda desconhecia seu nome, voltou a se submeter a um teste em 2000. A Comissão Nacional pelo Direito à Identidade (Conadi) realiza ainda hoje campanhas que animam qualquer pessoa que tenha dúvidas a fazer os exames, e todos aqueles que tiverem um parente desaparecido a doar amostras de DNA para facilitar as identificações. O teste foi um sucesso e pela primeira vez desde que era menina María Eugenia soube uma verdade sobre sua origem.
Na realidade é filha de Leonardo Sampallo e Mirta Barragán. Ambos foram seqüestrados com ela grávida de seis meses. O resto da história já conhecia muito bem. Estela de Carlotto, presidente das Avós da Praça de Maio, revelou um detalhe que a impressionou na primeira vez em que María Eugenia se encontrou com sua verdadeira avó: aquela mulher já adulta sentou-se nos joelhos da idosa, um gesto que havia sido negado à menina que venceu as mentiras.
Para Sampallo o encontro não é o fim do caminho. Ela quer que se faça justiça e que sirva de exemplo em um país onde se calcula que pelo menos 900 crianças foram roubadas e entregues a famílias ligadas ao regime militar. O advogado que representa Sampallo não deixou nenhuma brecha em sua acusação: subtração, mudança de identidade e falsificação de documento público. "Trabalhamos há muitos anos nesse julgamento. Temos total e absoluta certeza do que essas
pessoas fizeram, por isso pedimos 25 anos de prisão", afirmou Tomás Ojea-Quintana. Ontem, o Ministério Público apoiou o pedido de 25 anos de prisão para os acusados, o máximo que a lei permite. Enquanto aguarda, Sampallo prefere que os refletores não se concentrem nela e não quer se estender com a imprensa. "Não importa o que passa pela minha cabeça, o importante é que se faça justiça."

Matéria originalmente publicada no jornal El Pais, por Jorge Marirrodriga e traduzido por Luiz Roberto Mendes Gonçalves

terça-feira, 11 de março de 2008

Sharon Stone, 50 anos


A protagonista da melhor cruzada de pernas já vista no cinema completou 50 anos ontem. Isso mesmo: Sharon Stone, lembrada até hoje pela cena impagável no filme Instinto Selvagem (1992), continua linda, elegante e sexy ao completar meio século de existência. E não é só isso. Ao longo de sua carreira tem se revelado excelente atriz. Basta lembrar de sua performance nos filmes Desejo Proibido, Cassino, Invasão de Privacidade, Diabolique, Sempre Amigos e Instinto Selvagem 2, entre outros. Sharon, nascida no dia 10 de março de 1958 na Pensilvânia (EUA), é também uma ativista social, participando ativamente de diversas ONGs. Parabéns e vida longa, moça!


Foto: http://www.askmen.com/women/galleries/actress/sharon-stone

segunda-feira, 10 de março de 2008

Novo milagre brasileiro


Se nos anos JK e na época do Delfim Netto chamavam um crescimento próximo de 10% de "milagre econômico", o Governo Lula poderá também poderá receber este título. Tudo indica que, nesta quarta-feira, 12 de março, IBGE divulgará, no Rio de Janeiro, o número final do PIB brasileiro em 2007. Ao que tudo indica, o resultado será melhor do que se previa. Estimativas de crescimento, antes próximas a 5%, já estão sendo puxadas para 5,7% pelas principais consultorias, mas o ministro da Fazenda, Guido Mantega, poderá anunciar algo na casa dos 7%. Vamos esperar para comentar esta notícia, que deverá causar urticária nos opositores do PSDB e do DEM, entre outros menos votados.

Pai e filho

Frei Betto, autor de "Típicos Tipos - perfis literários", escreve aos domingos


- Pai, por que o nosso país invadiu o Iraque? - perguntou Billy, de 8 anos.
- Lá tinha armas de destruição em massa.
- Se eles tinham tais armas, por que não usaram quando atacamos?
- Para que ninguém soubesse que eles têm as armas. Preferem morrer a defender-se. - Como um povo pode preferir morrer a defender-se?
- A cultura deles é diferente. E lembre-se de que Saddam Hussein era um cruel ditador. Torturava e matava gente.
- Como na China comunista?
- A China é diferente, seu povo trabalha para as nossas empresas.
- Mas a China não é comunista, e os comunistas não são maus?
- Só os comunistas da Coréia do Norte e de Cuba, que prendem e torturam gente.
- Como fazemos em Bagdá?
- É diferente. Nós prendemos e torturamos em defesa dos direitos humanos e da liberdade.
- Foi o que fizemos no Afeganistão?
- Lá foi por causa do Osama bin Laden.
- O que é um terrorista?
- É uma pessoa que não pensa como nós pensamos.
- Mas não defendemos a liberdade de opinião?
- Só a que não vai contra a nossa opinião.
- Nós é que produzimos as armas usadas nas guerras?
- Boa parte delas, pois a guerra favorece a nossa economia.
- Quer dizer que ficamos ricos às custas da morte de outros povos?
- É a lógica do mercado.
- Quer dizer que nós matamos como Saddam e o Talibã matavam?
- Nós matamos a favor da liberdade; eles, contra.
- Deus aprova isso?
- Sim, nosso presidente fala diretamente com Deus, que o elegeu para fazer a guerra do Bem contra o Mal.
- Mas Deus e Alá não são a mesma pessoa?
- Billy, chega de perguntas. E não confunda o nosso Deus com o deles!


domingo, 9 de março de 2008

Guiñazu, um leão feroz em campo

Ele corre da defesa ao ataque, desarma como poucos e sempre encontra um companheiro bem colocado para entregar a bola. E, ultimamente, tem chutado a gol com qualidade. É Guinãzu, argentino da região de Córdoba, que poderia ter sido campeão mundial se o Internacional tivesse comprado seu passe junto ao El Libertad em 2006, como pretendia. Mas El Cholo, como é chamado na Argentina, ou Guina, como Abel refere-se a ele, terminou contratado no ano passado e transformou-se em um feroz leão do meio-de-campo colorado. Ou melhor, de todas as partes do campo. Para o carequinha de 29 anos, não há bola perdida. Está sempre pronto para o bote e, na maioria das vezes, desarma o adversário sem cometer falta. Aí está um novo ídolo colorado, que a direção não ousará se desfazer tão cedo, apesar do assédio de clubes como o Boca Juniors e o River Plate.
Foto: Jéfferson Bernardes/VIPCOM/Divulgação

Inter coloca mais de 46 mil torcedores no Beira-Rio...




As fotos acima, extraídas do site do Internacional, mostram o que representa a torcida colorada. Estava tudo perfeito ontem no Beira-Rio. A chegada da multidão que tomou conta do estádio do Inter foi com sol intenso, e o jogo começou com a noite chegando e as arquibancadas lotadas. Exatos 46.472 torcedores assistiram à vitória sobre o Brasil de Pelotas por 2 a 0. Mais de 11 mil eram mulheres, que não pagaram ingresso por conta do Dia Internacional da Mulher. Esta é a verdadeira pesquisa sobre a maior torcida do Rio Grande do Sul.
O cenário era perfeito para mais um espetáculo do Inter, que só não goleou novamente porque o Brasil jogou fechado o tempo todo, mesmo depois do gol de Magrão. Mesmo assim, o colorado, comandado pelo incansável Guiñazu, perdeu algumas oportunidades para balançar as redes do xavante pelotense mais vezes. A torcida deu um espetáculo à parte. Lá estavam os abnegados de sempre, casais com filhos que foram ao estádio pela primeira vez e grupos numerosos de mulheres de todas as idades. Vale a pena ver o Beira-Rio assim, dando ares de um Gre-Nal que se aproxima no final do Gauchão. Aí, seremos ainda mais numerosos.


.

sexta-feira, 7 de março de 2008

Os onze maiores desmatadores da Amazônia

Carta Capital - Publicada na quarta-feira, 5 de março, no Diário Oficial da União, uma instrução normativa do Ministério do Meio Ambiente deflagrou, sem alarde, o mais importante movimento realizado no Brasil para coibir o desmatamento ilegal. A norma formalizou as regras para embargo de áreas desmatadas, especialmente nas regiões de floresta amazônica. Para fazer valer a nova regra, o Ministério do Meio Ambiente preparou uma lista dos 150 maiores desmatadores do País.
A Instrução Normativa do MMA prevê, ainda, a produção de um mapa de todas as áreas embargadas, as chamadas "imagens georeferenciadas", produzidas com o apoio de satélites e colocadas na internet para consulta pública, a partir da segunda quinzena de março. Essa exposição tem como objetivo impedir que as terras detectadas pelo Ibama e pelo Instituto Chico Mendes (no caso de unidades de conservação) sejam colocadas à venda. Servirá, ainda, para rastrear criações de gado nas áreas mapeadas e, assim, impedir a venda desta carne – declarada ilegal, por essa razão – para frigoríficos.
Na liderança do ranking está a empresária e pecuarista Rosana Sorge Xavier. Em junho de 2007, ela recebeu três autos de infração do Ibama por conta das irregularidades na fazenda Campo Alegre, em Vila Bela da Santíssima Trindade (MT), próximo à divisa com a Bolívia.
A família Sorge Xavier é uma das maiores exportadoras de carne do Brasil. É dona do frigorífico Quatro Marcos, com sete unidades no Mato Grosso e Goiás, um enorme centro de distribuição em São Paulo e mais de 6 mil funcionários, conforme anunciado no site oficial da empresa.

Autuados pelo Ibama, eles são acusados de derrubar mais de 50,4 mil hectares de floresta amazônica ilegalmente. A área é superior à da capital gaúcha, Porto Alegre, e corresponde a mais de 61 mil campos de futebol, nas maiores dimensões permitidas pela Fifa.

A lista dos onze maiores desmatadores da Amazônia:

1. Rosana Sorge Xavier
Devastou 9,4 mil hectares no Mato Grosso. É o equivalente a 11,4 mil campos de futebol, quase a área da capital capixaba, Vitória.
2. Margarida Maria Barbosa de Oliveira
Responsável pelo desmate de 6,5 mil hectares no Pará.
3. Mário Quirino da Silveira
Desmatou 5,3 mil hectares no Mato Grosso.
4. João Ismael Vicentini
Derrubou 4,3 mil hectares de floresta em Mato Grosso.
5. Agropecuária Jarinã S/A
A empresa também desmatou uma região com extensão de 4,3 mil hectares no Mato Grosso.
6. Salete Maria Ruaro Aernoudts
Devastou 4 mil hectares de floresta amazônica.
7. Fernando Sampaio Novais
Derrubou 3,5 mil hectares em Mato Grosso.
8. Sebastião Lourenço de Oliveira
Desmatou 3,5 mil hectares no Pará.
9. Jair Roberto Simonato
Responsável pelo desmatamento de 3,4 mil hectares no Mato Grosso.
10. Fernando Conrado da Silva
Devastou 3,3 mil hectares no Pará.
11. Leonidio Benedito das Chagas
Derrubou 2,9 mil hectares de floresta no Mato Grosso.

Dia Mundial do Consumidor

Dia 15 de março é Dia Mundial do Consumidor. Pensando nisso, o Greenpeace e os consumidores de várias cidades vão se unir para exigir que o direito à informação seja respeitado! As empresas precisam dizer se o produto é ou não transgênico. Se for, têm que rotular!

Traga seus amigos e participe das atividades em Porto Alegre:


* Domingo, 09 de março, das 9h às 12h

Parque da Redenção

* Quarta-feira, 12 de março, das 12h às 14h

Praça da Alfândega

* Quarta-feira, 12 de março, das 14h às 17h

Palestra com o agronômo Jaque Saldanha
Auditório do Banrisul, Agência Centro (Praça da Alfândega)

* Sábado, 15 de março, 19h às 20h

Supermercado Zaffari
Rua Lima e Silva

* Sábado, 15 de março, 20h 22h

Bares e restaurantes
Rua Lima e Silva

Mar e Lua

Chico Buarque de Holanda

Amaram o amor urgente
As bocas salgadas pela maresia
As costas lanhadas pela tempestade
Naquela cidade
Distante do mar
Amaram o amor serenado
Das noturnas praias
Levantavam as saias
E se enluaravam de felicidade
Naquela cidade
Que não tem luar
Amavam o amor proibido
Pois hoje é sabido
Todo mundo conta
Que uma andava tonta
Grávida de lua
E outra andava nua
Ávida de mar
E foram ficando marcadas
Ouvindo risadas, sentindo arrepios
Olhando pro rio tão cheio de lua
E que continua
Correndo pro mar
E foram correnteza abaixo
Rolando no leito
Engolindo água
Boiando com as algas
Arrastando folhas
Carregando flores
E a se desmanchar
E foram virando peixes
Virando conchas
Virando seixos
Virando areia
Prateada areia
Com lua cheia
E à beira-mar

=========<><><>========

Amazônia: a próxima guerra

Colegas e amigos, leiam e repassem para mais pessoas, para que possamos formar uma opinião sobre a Amazônia que não é retratada nos telejornais.

Segue abaixo o relato de uma pessoa conhecida e séria, que passou recentemente em um concurso público federal e foi trabalhar em Roraima. Trata-se de um Brasil que a gente não conhece. As duas semanas em Manaus foram interessantes para conhecer um Brasil um pouco diferente, mas chegando em Boa Vista (RR) não pude resistir a fazer um relato das coisas que tenho visto e escutado por aqui. Conversei com algumas pessoas nesses três dias, desde engenheiros até pessoas com um mínimo de instrução.
Para começar, o mais difícil de encontrar por aqui é roraimense. Para falar a verdade, acho que a proporção é de um roraimense para cada 10 pessoas é bem razoável. Tem gaúcho, carioca, cearense, amazonense, piauiense, maranhense e por aí vai. Portanto, falta uma identidade com a terra. Aqui não existem muitos meios de sobrevivência, ou a pessoa é funcionária pública, e aqui quase todo mundo é, pois em Boa Vista se concentram todos os órgãos federais e estaduais de Roraima, além da prefeitura é claro. Se não for funcionário público a pessoa trabalha no comércio local ou recebe ajuda de Programas do governo.
Não existe indústria de qualquer tipo. Pouco mais de 70% do território roraimense é demarcado como reserva indígena. Portanto, restam apenas 30%, descontando-se os rios e as terras improdutivas - que são muitas - para se cultivar a terra ou para a localização das próprias cidades. Na única rodovia que existe em direção ao Brasil (liga Boa Vista a Manaus, cerca de 800 km), existe um trecho de aproximadamente 200 quilômetros da reserva indígena Waimiri Atroari, por onde você só passa entre 6h da manhã e 6h da tarde, nas outras 12 horas a rodovia é fechada pelos índios (com autorização da FUNAI e dos americanos) para que os mesmos não sejam incomodados.
Detalhe: Você não passa se for brasileiro, o acesso é livre aos americanos, europeus e japoneses. Desses 70% de território indígena, diria que em 90% dele ninguém entra sem uma grande burocracia e autorização da FUNAI.
Detalhe: americanos entram na hora que quiserem, se você não tem uma autorização da FUNAI mas tem dos americanos então você pode entrar. A maioria dos índios fala a língua nativa além do inglês ou francês, mas a maioria não sabe falar português. Dizem que é comum na entrada de algumas reservas encontrarem-se hasteadas bandeiras americanas ou inglesas. É comum se encontrar por aqui americano tipo nerds com cara de quem não quer nada, que veio caçar borboleta e joaninha e catalogá-las, mas no final das contas pasme, se você quiser montar um empresa para exportar plantas e frutas típicas como cupuaçu, açaí camu-camu etc., medicinais, ou componentes naturais para fabricação de remédios, pode se preparar para pagar 'royalties' para empresas japonesas e americanas que já patentearam a maioria dos produtos típicos da Amazônia...
Por três vezes repeti a seguinte frase após ouvir tais relatos: É, os americanos vão acabar tomando a Amazônia. E, em todas elas, ouvi a mesma resposta em palavras diferentes. Vou reproduzir a resposta de uma senhora simples que vendia suco e água na rodovia próximo de Mucajaí:
"Irão não minha filha, tu não sabe, mas tudo aqui já é deles, eles comandam tudo, você não entra em lugar nenhum porque eles não deixam. Quando acabar essa guerra aí eles virão pra cá, e vão fazer o que fizeram no Iraque quando determinaram uma faixa para os curdos onde iraquiano não entra, aqui vai ser a mesma coisa".
A dona é bem informada não? O pior é que, segundo a ONU, o conceito de nação é um conceito de soberania e as áreas demarcadas têm o nome de nação indígena. O que pode levar os americanos a alegarem que estarão libertando os povos indígenas. Fiquei sabendo que os americanos já estão construindo uma grande base militar na Colômbia, bem próximo da fronteira com o Brasil numa parceria com o governo colombiano com o pseudo objetivos de combater o narcotráfico.
Por falar em narcotráfico, aqui é rota de distribuição, pois essa mãe chamada Brasil mantém suas fronteiras abertas e aqui tem Estrada para as Guianas e Venezuela. Nenhuma bagagem de estrangeiro é fiscalizada, principalmente se for americano, europeu ou japonês, (isso pode causar um incidente diplomático)... Dizem que tem muito colombiano traficante virando venezuelano, pois na Venezuela é muito fácil comprar a cidadania venezuelana por cerca de 200 dólares.
Pergunto inocentemente às pessoas: por que os americanos querem tanto proteger os índios? A resposta é absolutamente a mesma: porque as terras indígenas além das riquezas animais e vegetais, da abundância de água são extremamente ricas em ouro (encontram-se pepitas que chegam a ser pesadas em quilos), diamante, outras pedras preciosas, minério e nas reservas norte de Roraima e Amazonas, ricas em PETRÓLEO.
Parece que as pessoas contam essas coisas como que num grito de Socorro a alguém que é do sul, como se eu pudesse dizer isso ao presidente ou a alguma utoridade do sul que vá fazer alguma coisa. É pessoal, saio daqui com a quase certeza de que em breve o Brasil irá diminuir de tamanho. Um grande abraço a todos. Será que podemos fazer alguma coisa???
Acho que sim.

Repasse esse e-mail para que um maior número de brasileiros fique sabendo desses absurdos.

Mara Silvia Alexandre Costa Depto de Biologia Cel. Mol. Bioag.
Patog. FMRP - USP

Opinião pessoal:

Gostaria que você, especialmente que recebeu esta postagem, o repasse para o maior número possível de pessoas. Do meu ponto de vista, seria interessante que o país inteiro ficasse sabendo desta situação através dos telejornais antes que isso venha a acontecer.

Afinal, foi um momento de fraqueza dos Estados Unidos que os europeus lançaram o euro. Assim poderá se aproveitar esta situação de fraqueza norte-americana (perdas na guerra do Iraque) para revelar isto ao mundo a fim de antecipar a próxima guerra. Conto com sua participação, no envio deste e-mail..

Celso Luiz Borges de Oliveira Doutorando em Água e Solo FEAGRI/UNICAMP

Tel: (19) 3233-1840 Celular: (19) 9136-6472 e-mail´s:
Celso@ufba.br; celso@agr.unicamp.br; celsoborges@gmail.com

Bebeu e dirigiu? Tu sabes as conseqüências...


Este outdoor fixado em algumas vias de São Paulo mostra como devem ser tratadas as campanhas de conscientização dos motoristas. Nada de tapinha nas costas...

Uma vida sem violência é um direito das mulheres

As agressões contra a mulher causam sofrimento, provocam doenças e destroem as relações de afeto. Não se cale quando presenciar um ato de violência contra as mulheres. Denuncie!
O serviço Ligue 180, da Secretaria Especial de Políticas para Mulheres, recebe denúncias de todo Brasil. Uma vida sem violência é um direito das mulheres
A mulher que sofre agressão física, psicológica ou sexual fica tão humilhada, machucada e amedrontada, que não vê saída. Ela acha que não vai ter forças para enfrentar o agressor, que não vai receber apoio de ninguém, que não será feliz de novo. Não isso, não aquilo. É tanto “não” que só temos uma coisa a dizer para ela: SIM!
Dá para mudar essa história, tu não estás sozinha. Está na lei. Exija teus direitos: Lei Maria da Penha. Uma vida sem violência é um direito das mulheres.
Medo, vergonha, culpa. Tu não imaginas quanta coisa a mulher agredida sente além da dor. A Lei Maria da Penha proíbe que o agressor seja punido apenas com a distribuição de cestas básicas. O crime de violência doméstica contra as mulheres agora pode dar cadeia. Está na Lei. Exija seus direitos. Uma vida sem violência é um direito das mulheres.
Qualquer mulher pode ser a próxima. Uma em cada três mulheres do mundo já foi espancada, estuprada ou submetida a algum tipo de abuso. Uma vida sem violência é um direito das mulheres.
A mobilização da sociedade é fundamental no combate à violência contra as mulheres e na implementação de políticas públicas que garantam seus direitos.
Lei Maria da Penha: um ponto final na impunidade.

Repasse a todos os seus amigos e amigas. E que todos repassem também.

Vamos ajudar a reduzir o índice de violência contra mulheres no Brasil.

quarta-feira, 5 de março de 2008

Tempo de abraçar

Como faz bem abraçar e ser abraçado!
Um abraço pode desencandear reações emocionais contidas.
Um abraço é forma de compartilhar alegria...
Um abraço acalma... libera perdão...
Um abraço derruba barreiras e preconceitos...
Um abraço acalenta, mostra apoio, transmite segurança... mata a saudade...
Num abraço se divide a alegria ou a dor com o outro...
Muito do que jamais poderia ser traduzido em palavras pode facilmente ser expresso num abraço.
O avanço tecnológico tem sido responsabilizado pelo aumento do distanciamento entre as pessoas. Conversas virtuais, amizades e namoros virtuais...
É possível ‘’mandar’’ abraço, mas isto em nada se compara à sensação de abraçar e ser abraçado.
Os efeitos psicológicos do abraço têm sido amplamente analisados.
O ser humano precisa do toque do outro para o seu suprimento emocional. Há pessoas que não se deixam abraçar, talvez por terem sido enrijecidas pelas dificuldades da vida. É preciso ajudá-las a superar essa distância.
O abraço é terapêutico. Aproxima do outro, faz sentir-se aceito, incluído.
O abraço é a indicação de que, além de braços entrelaçados, há corações e mentes envolvidas.
Abraços em pessoas conhecidas há anos, pessoas queridas, familiares antes distantes. Isso é comum. Porém, quero propor um novo desafio: abraçar pessoas que têm pouco acesso a abraços, pessoas que quase não são abraçadas, idosos isolados num asilo, adolescentes rebeldes, crianças carentes, doentes enfraquecidos, viúvas cheias de lembranças, pessoas solitárias.
Este é o tempo de abraçar, abraçar com os braços e com o coração.
Muitas pessoas estão, neste momento, precisando sentirem-se amadas, protegidas, acolhidas, agasalhadas afetivamente. Deus pode usar nossos braços para lhes transmitir amor.
É preciso ter cuidado para não atarefar-se tanto a ponto de não sobrar tempo para abraçar alguém que precisa de carinho. Sempre há tempo para um abraço, desde que haja esta disposição no coração.
Não economize abraços. É tempo de abraçar!

Jornalista Luis Nassif e a Veja

Para quem não suporta a revista Veja, praticante do anti-jornalismo, das mentiras e de seus colunistas caluniosos, é importante conhecermos a série de artigos de Luis Nassif sobre a esta publicação semanal. Um verdadeiro dossiê.

Blog do Nassif:
http://www.projetobr.com.br/web/blog/5

Últimos capítulos:

O caso Edson Vidigal
http://luis.nassif.googlepages.com/ocasoedsonvidigal

O dossiê falso
http://luis.nassif.googlepages.com/odossi%C3%AAfalsificado

O post-it de Mainardi
http://luis.nassif.googlepages.com/opost-itdemainardi

Lula, meu álibi
http://luis.nassif.googlepages.com/lulameualibi

Os Mais Vendidos
http://luis.nassif.googlepages.com/osmaisvendidos

A imprensa e o estilo Dantas
http://luis.nassif.googlepages.com/vejaeoorganograma

Obrigado, Márcia Martins

Reproduzo aqui coluna da amiga, colega e companheira Márcia Martins (foto) no site Coletiva.net da semana passada sob o título "Dias melhores, dias de paz, dias a mais". Além do sempre brilhante texto, tive a honra de ser citado, mais uma vez, por esta pessoa amada e carinhosa. Fico orgulhoso porque convivo com esta jornalista de primeira há mais de 25 anos, desde os tempos do Jornal do Comércio. E nunca nos perdemos. Não vou escrever mais para deixar os amigos apreciarem o artigo da Marcita. Vale a pena, como sempre!

Márcia Martins

Dias estranhos e imprevisíveis começaram, novamente, a ser escritos por diversas mãos desde 1º de janeiro de 2008. Ano bissexto, um maldito dia a mais para reclamar, errar, rogar pragas, se endividar, esquecer de telefonar para o amigo, invejar, odiar. Não adianta. Somos humanos e não conseguimos (se é que tentamos) só selecionar os bons sentimentos. Porque ano bissexto também representa um dia a mais para aplaudir, acertar, rezar pelo bem do próximo, poupar um dinheirinho, telefonar para o amigo, se resignar e amar muito. Às vezes, é possível se enxergar que tudo tem dois lados. A escolha é nossa.
E descobri mais um quesito a favor de 2008, que na realidade se inicia com o fim da ribeira das águas de março fechando o verão e a promessa de vida no meu coração. O 2008 é o ano do rato no horóscopo chinês (epa... me interessei, porque é meu signo, terei mais sorte???). Que bobagem! Reclamando de barriga cheia. Porque não é o que você vive que importa, mas o modo como você escolhe viver. Isto é que determina a intensidade das suas emoções. Apesar de perder, pela terceira vez, um pouco da ternura que ainda me restara, conforme contei na coluna passada, plantei promessas otimistas para este ano.
Se a saúde ainda não me permitir retornar à redação do Correio do Povo, por exemplo, pretendo visitar meus colegas e amigos mais vezes. Quero rever os companheiros motoristas, que sempre foram legais comigo e rir muito. Quero passar mais sugestões de pautas para as chefias (cada uma com seu estilo, mas as duas competentes) e imaginar os repórteres reclamando por que eu não estou deixando-os em paz. Pretendo visitar os fotógrafos e dar abraços especiais no Diego, no Giusti, no Vini, Sobral, Urso e, perdão, se esqueci algum. E combinar mais encontros com as meninas que se revezavam comigo no turno da tarde.
Confesso que não posso reclamar de falta de sorte (mesmo que o texto fique repetitivo, não digo aquela palavra... o sinônimo). Continuo escrevendo sobre a vida, profissão, amores e filhos, neste espaço gentilmente convidada pelo editor Vieira. Retomarei minhas atividades sindicais de qualquer jeito. Eleições em outubro. Quem sabe consigo exercer alguma militância para recuperar minha cidade. Estou de casa nova e enxergo a cidade sob um ângulo bem superior (te mete!). Tenho minha família. Consigo pagar algumas contas (hehehe). E não deixo escapar, de jeito nenhum, qualquer momento de felicidade que chega.
Não posso esquecer de rever minhas eternas amigas da Zero Hora (que saudade), o amigo fiel de sempre Jorge, o povo da Prefa (tia Lili) e da confraria de Brasília. Nem os inúmeros encontros que os membros da Saudosa Maloca (a turma da Famecos que se reencontrou após alguns anos) deverão promover. Ah, preciso dedicar mais tempo para a comunidade “Poemas à Flor da Pele” e “Tecendo Arte na Rede”, do Orkut, e ajudar a Soninha Porto a movimentar os poetas anônimos ou não deste mundo global. E, principalmente, selecionar poesias para o nosso 2º E-Book e os livros que serão lançados pelas duas comunidades.
O mais importante nos novos dias que serão escritos em 2008 é a companhia insubstituível da minha filha Gabriela Martins Trezzi, que deverá concluir o Ensino Fundamental, com apenas 13 anos (olhem só, pessoas da Saudosa, filha de prodígio...), e os preparativos para a sua festa de formatura. Os momentos em que acolherei nos meus braços as suas angústias e que soltarei gargalhadas com a Gabriela pelas suas travessuras. E, de quebra, neste ano bissexto, ela ganhará um dia a mais para brincar com seu avô Fernando no tapete da sala de estar para recuperar o tempo perdido.
É claro que não escaparemos, no bissexto 2008, de dias escritos com o sangue da incoerência dos homens que dirigem algumas nações poderosas, de escândalos de políticos inconsistentes que se alojam em Brasília e ignoram o povo (mas que povo???), de choros arrependidos de pais que esqueceram seus filhos trancados dentro dos carros, de adolescentes que perderam a vida nas curvas das estradas de Santos, da BR-101 e de outras. Nem sempre tudo é perfeito. Nem sempre a sensibilidade vence. Nem sempre se consegue mudar o mundo. Mas, com um dia a mais, vale a pena apostar na paz. Nem que seja entre nosso círculo.

Amor - por Shakespeare

De almas sinceras a união sincera
Nada há que impeça: amor não é amor
Se quando encontra obstáculos se altera,
Ou se vacila ao mínimo temor.
Amor é um marco eterno, dominante,
Que encara a tempestade com bravura;
É astro que norteia a vela errante,
Cujo valor se ignora, lá na altura.
Amor não teme o tempo, muito embora
Seu alfange não poupe a mocidade;
Amor não se transforma de hora em hora,
Antes se afirma para a eternidade.
Se isso é falso, e que é falso alguém provou,
Eu não sou poeta, e ninguém nunca amou

William Shakespeare

segunda-feira, 3 de março de 2008

Brasil deve mediar conflito entre Equador e Colômbia

O mundo está preocupado com a crise entre a Colômbia, o Equador e a Venezuela. A ONU já manifestou preocupação, e a OEA está convocando os governantes os dois primeiros países. Também o governo brasileiro garantiu que usará os canais diplomáticos para mediar os problemas políticos gerados após a operação militar colombiana que matou o número dois na hierarquia das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), Raúl Reyes, em território equatoriano, no último final de semana. Segundo o assessor especial da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tentará solucionar a crise.

A ajuda é oportuna porque o clima é pesado e , sabidamente, os Estados Unidos estão apoiando a Colômbia. Não foi à toa que este país invadiu o território colombiano, seguindo o exemplo dos ianques que costumam fazer o mesmo (o Afeganistão e o Iraque são os exemplos mais recentes). Uma guerra neste momento seria desastrosa não apenas para os dois países (três se contarmos a Venezuela, que já tomou partido), mas seus vizinhos, entre os quais o Brasil. É preciso, portanto, reduzir ao máximo a tensão. E o nosso governo deve capitanear uma solução pacífica.

A maior torcida do Rio Grande



Observem atentamente as duas fotos clicadas pelo Alexandre Lops e publicadas no site do Internacional. Elas valem mais do que qualquer pesquisa que tente definir a maior torcida gaúcha. Nos últimos anos, alguns levantamentos têm apontado vantagem para o Porto-Alegrense, mas isso não tem sido visto nos estádios dos dois times e agora neste Gauchão. As fotos são da chegada do Inter no Hotel Obino, em Bagé, na véspera do jogo contra o Guarany e revela a verdadeira paixão do torcedor colorado. O mesmo já acontecera nas viagens do time para jogos em Pelotas, Santa Maria, Ijuí e Santo Ângelo. Uma multidão recebe seus ídolos, mostrando quem é maior e melhor no Rio Grande. Seja na capital ou no interior.

O mau jornalismo na Veja não é mais novidade

“Com a manchete de capa “Já vai tarde” sobre uma foto de perfil contraluz de Fidel Castro, a revista Veja prestou mais um desserviço ao jornalismo brasileiro ao tratar com fúria reacionária o dirigente cubano que deixava o poder após quase meio século e abandonar qualquer tentativa de compreensão do significado do gesto para o futuro da ilha. Enquanto a mídia do mundo todo buscava decifrar o que será de Cuba pós-Fidel, Veja saía com um artigo editorializado, destinado a destruir a imagem do líder e seu significado na história, com juízos definitivos e texto folhetinesco, que se encaixariam bem no boletim dos cubanos exilados em Miami, mas não na maior revista em circulação no país.

É bem verdade que Veja já abriu mão de um jornalismo sério há algum tempo, mas uma edição como essa não deixa de ser reveladora. Não faz muito tempo, a semanal também se dedicou a tentar destruir o mito Che Guevara, destacando, entre outros aspectos menos nobres, que cheirava mal.”

Pena Neto, Direto da Redação
http://www.diretodaredacao.com/site/noticias/index.php?not=3767

Renda dos brasileiros cresceu quase 20% em dois anos

A massa de renda das famílias brasileiras cresceu quase 20% nos últimos dois anos e levou o Brasil a subir no ranking mundial de consumo. Esse número corresponde a um acréscimo de R$ 194 bilhões na soma da renda de todas as famílias no País em relação a 2005, já descontada a inflação. Esse é o resultado de um estudo da consultoria MB Associados, que usou como base os dados mais recentes (2006) da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Principal indicador da capacidade de consumo da população, a massa de renda do conjunto das famílias do País chegou a R$ 1,168 trilhão em 2007, estima a MB. Em 2005, era de R$ 975 milhões.
A diferença entre esses dois valores é explicada pela forte recuperação da renda e do emprego. Para este ano, a estimativa é de crescimento de 7,9% na massa de renda, para R$ 1,260 trilhão. Com isso, o aumento entre 2005 e 2008 seria de 29%.
Não foi por acaso que
o Brasil já se tornou um dos maiores mercados de consumo do mundo para vários produtos. Em volume de vendas de automóveis, o País é o oitavo colocado. Com um mercado de 10,7 milhões de computadores em 2007, segundo a consultoria IDC, o Brasil já ocupa o quinto lugar no ranking mundial de PCs. O País é ainda o terceiro maior consumidor de Coca-Cola, também o terceiro de cosméticos no mundo e o quarto de chocolate.

Fonte:
Agência Estado

domingo, 2 de março de 2008

Inter, grande e arrasador em Bagé


O Internacional mostrou hoje em Bagé que não existe distância que possa derrubá-lo. Ao natural, aplicou uma histórica goleada sobre o Guarany por 6 a 0. Alex (na foto de Alexandre Lops) foi o craque do jogo, marcando dois gols e transformando-se em goleador do Gauchão. Com isso, o time colorado manteve a liderença da chave 2 do campeonato, com 20 pontos. Tem também o melhor ataque da competição (25 gols marcados) e apenas cinco sofridos. Agora, chegou a vez de enfrentar o Brasil, de Pelotas, no Beira-Rio, no próximo sábado. É jogo para mais de 30 mil pessoas. Eu estarei lá.



Literatura em alta na capítal dos gaúchos


O Espaço Literário - grupo de jornalistas e escritores que se reúne todas as quintas-feiras, a partir das 18 hs, no Café Bennedict da Livraria Nova Roma, rua General Câmara, 394, em Porto Alegre – reiniciará o seu ciclo de palestras no dia 13 de março, quando o jornalista Raul Quevedo falará sobre o tema "Fidel Castro, o maior estadista de todos os tempos ".
O segundo encontro já agendado, segundo o presidente do Espaço Literário, Luiz Antônio Pinheiro, será realizado no dia 10 de abril e se constituirá na projeção do vídeo "Lutar e Tocar", a cargo de José Weiss. Trata-se de um documentário sobre um projeto de descentralização cultural, através do incentivo ao desenvolvimento do talento musical entre a juventude, que tem sido realizado há trinta anos, com inegável sucesso, na Venezuela.
Posteriormente, serão convidados como palestrantes: Egídio Pellizzato, proprietário e dirigente da Editora Evangraf; Fátima Flores, presidente da ONG Instituto Popular de Arte-Educação (IPDAE); Flávio Stefani, presidente da Seção de Porto Alegre da União Brasileira de Trovadores ( UBT ); Nadir Silveira Dias, presidente da Sociedade Partenon Literário e os poetas Joaquim Monks e Luís de Miranda.

Mais Informações com
Sérgio Becker: fone 3029-9151 e e-mail: sergio_becker@ig.com.br
Ou com
Pinheiro, pelos fones 3246-9496 e 9963-1021