segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

O momento de parar

Chora o mundo inteiro o abandono do futebol pelo jogador Ronaldo. A maioria esquece que o Fenômeno - apelido adequado numa época - já tinha parado. Com excesso de peso e fora de forma, não conseguia acompanhar o ritmo de um esporte de alto nível que, cada vez mais, exige força, velocidade e transpiração. Ronaldo tinha lampejos. Só! Seu corpo não respondia mais. 
O ex-craque permanecia em campo por força dos milionários contratos que ainda mantinha e que se espelhavam naquele Ronaldo que foi o melhor atacante do mundo, com força, com volúpia, com inteligência. É duro, mas é preciso saber parar. Pelé soube fazer isso e foi jogar futebol de exibição no Cosmos (EUA). Falcão sentiu que suas pernas não lhe permitiam mais defender e sair, em passadas largas e com elegância, para o ataque. 
Ronaldo merece as homenagens de todos os amantes do esporte pelo que representou para o Brasil e para o futebol mundial. Foi fenômeno e é assim que será lembrado. Já entrou na história, com um currículo invejável. Chega!

Um comentário:

Egle disse...

Ronaldo se despede com uma entrevista emocionante. Chora, dizendo amar o futebol, mas de cabeça erguida diz não aguentar mais suas dores e lesões!