sexta-feira, 23 de novembro de 2007

SOS para o Auditório Araújo Vianna

Quem circula pelo Parque Farroupilha (Redenção), um dos pulmões verdes de Porto Alegre, fica pasmo com o abandono do auditório Araujo Vianna, interditado desde o início de 2005.
Sua cobertura de lona, construída em 1996, expirou em 2002, segundo laudo técnico da Secretaria Municipal de Obras e Viação (SMOV) de julho daquele ano. O órgão apontou risco de segurança e sugeriu que a cobertura deveria ser completamente trocada. A reforma da antiga cobertura tornou-se completamente inviável em meados de 2006, quando o Ministério Público deu ganho de causa a uma ação dos moradores do bairro Bom Fim, determinando o completo isolamento acústico do local.
Um novo projeto, cuja construção deveria começar no segundo semestre de 2007, prevê a necessária nova cobertura fixa de alvenaria, que demanda também a instalação de um sistema de ar-condicionado. Em face das novas exigências, serão também completamente reformados o palco, as cadeiras da platéia e renovadas as demais instalações. A obra está orçada em R$ 7 milhões e seu prazo de execução, estipulado em edital publicado no dia 20 de fevereiro e vencido pela empresa porto-alegrense Opus Promoções, é de 18 meses. Pelo jeito, não será cumprido.
O Araújo Vianna está instalado há 43 anos no Parque Farroupilha. Palco de espetáculos de João Gilberto, Caetano Veloso ou o tributo aos 90 anos de Luis Carlos Prestes, o espaço faz parte da história de Porto Alegre. Não merece continuar como está.


Um comentário:

Antônio Carlos Araújo disse...

Bah,que horror. Faz um tempão que não passo no Araújo Vianna. Se está assim, a Prefeitura tem obrigação de arrumar. É patrimônio de gerações, meu amigo.
Antônio